Mas que história é essa dos percentis?

Para saber o que é um percentil basta ir à wikipédia: «Em estatística descritiva, o k-ésimo percentil Pk é o valor x (xk) que corresponde à frequência cumulativa de N k/100, onde N é o tamanho amostral.» O que em língua portuguesa pode ser traduzido para: o percentil é o valor que divide a amostra numContinue a ler “Mas que história é essa dos percentis?”

Tê-los no sítio II

Existe uma entidade bem mais frequente que a criptorquidia. É muitas vezes confundida com esta, mas raramente precisa de cirurgia. Trata-se do testículo retráctil. Ao contrário do que acontece na criptorquidia, nestes casos o testículo chega à bolsa escrotal, mas foge assim que é estimulado (pelo frio ou pelo toque). Tal deve-se ao reflexo cremastéricoContinue a ler “Tê-los no sítio II”

Tê-los no sítio I

Não é tão simples como parece. Os testículos dos meninos nascem dentro da barriga e têm que percorrer um longo caminho até às respectivas bolsinhas. É um percurso que é feito através de um canal na virilha, chamado canal inguinal, mais propriamente dentro de uma bainha muito fina (o canal peritoneo-vaginal). 3% dos meninos nãoContinue a ler “Tê-los no sítio I”

Pilinhas III

Mais umas dicas, em relação à retracção prepucial. Muitas mães referem que não controlam o que o menino já crescido faz no banho, pelo que deixam de saber se ele tem dificuldade ou não em retrair a pelezinha para trás. Uma forma discreta de monitorizar se a criança o faz correctamente é a inspecção das cuequinhas.Continue a ler “Pilinhas III”

Pilinhas

Não há tema que suscite mais dúvidas entre as mães (e, embora muitos não admitam, entre os pais também) como a pilinha da criança. É um tema que ocupa muitas consultas de Cirurgia Pediátrica, pelo que vai merecer uma série de posts. Começa logo pelo prepúcio. Esta pelezinha que recobre o pénis (atentem ao trocadilho)Continue a ler “Pilinhas”