Muitos meninos têm hidrocelo mas nem todos são para operar

Em tantos anos de blogue, as únicas referências ao hidrocelo aconteceram como notas de rodapé dos textos dedicados às hérnia inguinais. No entanto, o hidrocelo é uma patologia que afecta grande parte dos rapazes ao nascimento (60-80% nalguns artigos), pelo que merece um artigo autónomo. Ainda por cima, o hidrocelo tem um segundo pico deContinue a ler “Muitos meninos têm hidrocelo mas nem todos são para operar”

Fimose e hérnia em dois textos no ‘Pediatra para todos’

O blogue está a passar por um período letárgico. Culpa da parte profissional da vida deste que vos escreve, felizmente. Felizmente, porque, quando se faz o que se gosta, trabalhar é bom. Juntar-lhe mais conhecimento e mais inovação ainda é melhor. De facto, no último mês tenho estado mais ocupado com a actividade clínica àContinue a ler “Fimose e hérnia em dois textos no ‘Pediatra para todos’”

Não basta saber

Se seguem o meu instagram, poderão ter percebido que estive na Roménia, no início deste mês. Tive a honra de ser convidado pela Associação Europeia de Cirurgiões Pediátricos (EUPSA) para ser formador num curso de laparoscopia em Timisoara. Esta foi a segunda vez que fui como formador convidado à Roménia. O curso correu lindamente. ParaContinue a ler “Não basta saber”

Cem crianças operadas a hérnia inguinal sem cicatriz

Já foi em Junho, mas foram ficando para aqui esquecidas. Estas fotografias assinalam a minha centésima cirurgia laparoscópica para correção de hérnia inguinal em criança. Já aqui escrevi sobre isto: «Coreção da hérnia inguinal sem cicatriz». Aliás, é sobre a minha experiência com esta técnica inovadora que falei hoje em Madrid no Congresso da ESPESContinue a ler “Cem crianças operadas a hérnia inguinal sem cicatriz”

Hérnia epigástrica sem cicatriz

Publicado! A revista da Associação Americana de Hérnias já colocou online o nosso artigo ‘Scarless laparoscopic repair of epigastric hernia in children’, meaning «Reparação laparoscópica da hérnia epigástrica da crianças sem cicatriz». Cirurgia laparoscópica ‘made in Portugal’. Em Janeio de 2014, neste mesmo blogue publiquei a fotografia da esquerda: uma cicatriz de uma hérnia epigástricaContinue a ler “Hérnia epigástrica sem cicatriz”

Um talinho acima do umbigo

Tenho estado a escrever um artigo sobre hérnias epigástricas. Eis um bom motivo para um post técnico-científico. Já falei aqui de algumas hérnias da parede abdominal que aparecem na crianças (as hérnias umbilicais e inguinais). Existe um terceiro tipo de hérnias que aparecem na parede abdominal, ao longo da chamada linha alba e acima do umbigo,Continue a ler “Um talinho acima do umbigo”

Porque é que os bebés bolçam tanto? E como podemos evitá-lo?

Vamos lá por partes. Quando o bebé bebe o leite, este passa da boca para o estômago, através de um tubo chamado esófago. Entre a parte final do esófago e o estômago temos um músculo (o chamado esfíncter esofágico inferior), que funciona como uma porta que impede que os alimentos chegados ao estômago voltem paraContinue a ler “Porque é que os bebés bolçam tanto? E como podemos evitá-lo?”

Buracos no diafragma

Chegaram à redacção algumas dúvidas relacionadas com esta notícia aqui. Então em Coimbra «fizeram uma descoberta inédita» e baptizaram uma hérnia? No diafragma? Primeiro, vamos lá ver o que é uma hérnia diafragmática. Uma hérnia  é a protusão de intestino (ou outro conteúdo visceral) por um buraco ou fraqueza anatómica. Pode ser pelo umbigo (verContinue a ler “Buracos no diafragma”

Como uma força

Finalmente o há muito prometido post sobre as hérnias inguinais (as ‘forças’, na gíria popular). Como expliquei anteriormente, os testículos nascem dentro da barriga do feto e vão descendo até encontrar o seu lugar no escroto. O canal por onde desce chama-se canal peritóneo-vaginal e pode persistir aberto por muitos meses, após o nascimento do bebé.Continue a ler “Como uma força”

Umbigo Um

O umbigo reveste-se de um enorme simbolismo. Foi através dele que as nossas mães nos alimentaram, durante a gravidez. É, por isso, um símbolo da fertilidade humana e também da beleza, principalmente feminina. Sendo assim, é natural que, quando a menina nasce com uma bolinha no local do umbigo, os pais fiquem preocupados. Esta bolinhaContinue a ler “Umbigo Um”