O fantasma do apêndice (III)

Escrevi aqui alguns benefícios da laparoscopia no tratamento da apendicite aguda. Esteticamente, a vantagem é óbvia, pois evitam-se cicatrizes na fossa ilíaca direita, como a clássica incisão de McBurney, e outras mais radicais, como a incisão xifo-púbica (da apêndice xifóide, que é a ponta do esterno, ao púbis), uma risca de alto a baixo. Na Universidade do Minho, temos estudado a forma de fazer a apendicectomia o menos invasiva possível. Tem que se lhe diga e, este ano, vamos organizar pela primeira vez um curso intitulado: ‘Acute appendicitis: the end of the McBurney’s incision“. O título é provocador. Um curso laboratorial, clínico e cirúrgico dedicado em exclusivo ao tratamento da apendicite aguda.

Cerca de 7% da população terá que ser submetida a apendicectomia, no decurso da sua vida. Recordo que os maiores benefícios, para o médico e para o doente, não é a estética, mas sim o menor impacto em termos de dor, melhor recuperação da anestesia e da agressão cirúrgica. De qualquer forma, é sempre gratificante não deixar qualquer cicatriz visível.

Tirei esta fotografia no final de uma apendicectomia laparoscópica. O umbigo é a nossa ‘cicatriz natural’ . A outra mais baixa (à direita da imagem) tem 5mm e ficará por baixo ou no limite dos pelos púbicos.

One thought on “O fantasma do apêndice (III)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: